Quarta-feira, 22 de Setembro de 2010

Características do Cidadão do Céu

Sl 15:1-5

Introdução:
A Igreja do Senhor é estrangeira aqui nessa terra, nosso objectivo, é um dia morar no céu com o Senhor e tornarmo-nos cidadãos do céu. Porém, não se obtém a cidadania celestial sem primeiro apresentarmos os requisitos necessários.

As qualificações requeridas para obter a cidadania do céu são muito mais elevadas.

No Salmo 15 encontramos preciosas lições sobre o carácter do verdadeiro cidadão do céu.

I – A Pergunta de Davi – v. 1 COMPROMISSO COM DEUS

Davi, certamente observou a santidade de Deus e começou a formular algumas perguntas a si próprio, Com esta pergunta o salmista obteve mais que uma resposta para si mesmo. Obteve uma revelação das qualidades necessárias a todos os que querem ir para o céu.

a) Quem habitará no teu tabernáculo?

Davi conhecia o tabernáculo terrestre, que fora construído no deserto. Era um lugar santo. Aí, manifestava-se a presença de Deus.

Davi também sabia da existência de um tabernáculo melhor, eterno, nos céus. Mas queria saber quem seriam seus habitantes.

Perguntas semelhantes feitas No Novo Testamento:

· O Jovem rico: Como obter a vida eterna? (Lc.18.18)

· O carcereiro de Filipos: O que é necessário fazer para me salvar? (At.16.30).

b) Quem morará no teu santo Monte?

-         Em Israel havia muitas cidades e aldeias. Entretanto, era um privilégio morar no Monte Sião (Jerusalém). Cidade dos príncipes.

-         No tempo de Neemias, só 10% dos hebreus tiveram o privilégio de morar em Jerusalém. Foram abençoados os que passaram a residir ali (Nee.11.1,2)

-         Jerusalém é uma figura da Igreja Triunfante - Os crentes fiéis estarão para sempre na Nova Jerusalém (Apoc.21. 2,3).

II – A Resposta de Deus - v.2

a)         A partir do versículo 2 encontramos 11 características que identificam o carácter do verdadeiro cidadão do céu.

b)         Sendo duas em relação a Deus e nove em relação aos homens.

c)         Note que apenas duas características envolvem o homem e Deus, porém são NOVE as características que envolvem o homem com o homem.

d)         Isto serve para mostrar a certos crentes que pensam que devem apenas se relacionar bem com Deus e o seu próximo não conta.

a)     Qualificações diante de Deus (2 a)

I - COMPROMISSO NO ANDAR, Anda em sinceridade. Sl 15:2 (a)

a)         Esta é uma qualidade do verdadeiro cidadão do céu, demonstrada, primordialmente, diante do Pai Celeste que ama a sinceridade no mais íntimo. Sl 51:6

No hebraico a palavra “integridade” é tamim, significando que o indivíduo íntegro, sem cera ou verniz, Que exprime só o que sente e pensa, Que não falta às promessas que faz, Fiel; franco; delicado, aé aquele que diz o que faz e faz o que diz. Tg 2:12

b)         Em Gn.17.1 Deus ordenou a Abraão : “...anda na minha presença e sê perfeito”. Isso equivale a ser íntegro diante do Senhor.

c)         A sinceridade é uma qualidade de quem se expressa sem intenção de enganar, não faz o papel de um comerciante I Pe 2:1

d)         O cristão deve enaltecer a Deus através de um viver autêntico e verdadeiro.

e)         Íntegro na vida espiritual

f)           Íntegro na vida moral

g)         Integro na vida física

h)          Vemos a sinceridade como requisito básico para se entrar na morada de Deus. Sendo assim o crente deve todos os dias de sua vida cultivar esta qualidade sabendo que de Deus receberá a aprovação como no caso de Jó, onde o próprio Deus dele testemunhou dizendo por duas vezes a Satanás: observaste tu a meu servo Jó? Por que ninguém há na terra semelhante ele, homem sincero, (Jó 1.8; 2:3).

i)           Vemos, portanto, que Deus não está alheio ou indiferente com relação ao nosso andar.

j)           Antes de tudo nos observa esperando poder também testemunhar a nosso próprio respeito para Satanás e para o mundo dizendo: Observaste tu a meu servo? Homem sincero...

k)         Há recompensa para os sinceros, sua recompensa: salvação Sl 7:10; 32:11; 37:37; 49:14; 64:10; 97:11; 112:4; Escudo Pv 2:7,21; 10:9; 14:11; 28:6; Galardão Eterno Ap 22:12

 

1) Pratica a justiça. Sl 15:2b

a)         A justiça emana de Deus. O crente só consegue viver bem diante do senhor, se tiver a justiça divina.

b)         No texto lido a justiça entra como segundo requisito para se entrar no reino de Deus.

c)         A sinceridade por si só é de muito valor, mas não é tudo, pois é perfeitamente possível ser sincero sem no entanto ser justo (Gn 20;3-7).

d)         Vemos nas escrituras o exemplo do patriarca Noé. Ele era varão justo e recto diante de Deus, por isto escapou do dilúvio tendo o seu nome na Bíblia Sagrada e nos anais da história como testemunho vivo e modelo exemplar para sua posteridade.

e)         O próprio Deus testemunhou dele reconhecendo a sua justiça dizendo-lhe: “Entra tu e toda a tua casa na arca, porque te hei visto justo diante de mim nesta geração” (Gn 7:1).

f)           A nossa justiça deve exceder a dos escribas e fariseus (Mt 5:20).

g)         Eles se mostravam belos por fora, mas por dentro estavam cheios de rapina e maldade (Lc 11:39).

h)         A justiça do cristão não deve ser apenas aparente e superficial mas uma marca profunda impregnada em todo o seu andar.

i)           Noé foi um exemplo de homem que praticou a justiça e a rectidão (Gên.6.9): “Estas são as gerações de Noé. Era homem justo e perfeito em suas gerações, e andava com Deus.”

j)           Davi orava a Deus pedindo para ser guiado na sua justiça: “guia-me nas veredas da justiça” Sal.23.3b.

k)         Jesus nos exorta a buscar em primeiro lugar “o reino de Deus e a sua justiça” Mat. 6.33 a)

l)           Não podemos fazer justiça segundo a nossa vontade. Mesmo que sejamos injustiçados, nosso dever é confiar em Deus e deixar tudo em suas mãos.

m)       A Bíblia diz que a vingança pertence ao Senhor, o justo juiz. Rm 12:19

Mat.5.6: “Bem-aventurados os que tem fome e sede de justiça, porque eles serão fartos”. Quem é a Justiça? De que modo expressamos a justiça em nosso viver diário? Jer. Compare com Jr.5:1,5; Sl.119:142,172; Is.51:6)

- O estado espiritual do crente durante toda a sua vida dependerá da sua fome e sede da presença de Deus Dt.4.29.

Essas são as qualificações do verdadeiro cidadão do céu diante de Deus nosso Senhor. Cumprindo essas características, aí então vêm mais nove em relação aos homens.
b) Qualificações diante dos Homens

Estas qualificações referem-se ao comportamento, ou conduta ética, do cidadão dos céus diante dos homens, sejam estes salvos ou não.

-         Aqui podemos fazer uma auto-avaliação. É nessa hora que vamos por em prática os versículos (28 e 31 de 1Cor.11) Devemos julgar-nos a nós mesmos.

2)     II - COMPROMISSO NA PALAVRA fala a verdade (verazmente) (Pv 15:2b )

a)         O cidadão do céu chegou a essa condição porque um dia, creu na verdade (Jo.8.32).

b)         A Bíblia diz que toda palavra frívola que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo (Mt 12:36). A expressão frívola significa fútil, leviano, volúvel. O cristão deve portanto dispensar total cuidado com a palavra que sai de sua boca, procurando observar três princípios de suma importância. São eles:

c) Falar a verdade

d)         E fala verazmente segundo o seu coração (Sl 15:2c)

e)         Nós vivemos em um mundo cheio de mentiras e enganos. Foi-se o tempo em que podíamos cultivar a confiança mútua na certeza de que não nos decepcionaríamos.

f)           Não obstante a tudo isto o cristão deve procurar sobressair-se como pessoa íntegra e verdadeira. Falar a verdade portanto deve ser uma prática de todos os dias mesmo sob pena de qualquer perda, ou prejuízo ou mesmo de morte João Baptista.

g)         A verdade deve ser como um colar precioso no pescoço do cristão.

h)         A Bíblia nos recomenda: “Pelo que deixai a mentira e falai a verdade cada um com seu próximo” Ef 4:25).

i)           Deus é verdadeiro e importa que sejamos verdadeiros também. A mentira procede de Satanás que é o pai da mentira (Jo. 8.44).

j)           O cidadão do céu fala a verdade, porque é filho de Deus

k)         O mentiroso é filho do Diabo (Jo.8.44

l)           Conselho para os que desejam tornar-se cidadãos do céu (Ef.4.25)

m)      Não existe meia verdade. Uma meia verdade é uma mentira I Jo.2.21

n)         O destino do mentiroso é o inferno Ap 22.15

3) Não difama o próximo (Sl. 15:3 a)

a)         Difamar vem do latim (diffamare), significando “tirar a boa fama ou o crédito”; falar mal de alguém.

b)         Isto é um crime! O cidadão do céu não deve agir dessa maneira. Êx 20:16.

c)         A expressão difamar é o mesmo que caluniar. Significa acusar alguém de algum facto considerado criminoso, sem que a mesma tenha praticado tal coisa. Em outras palavras difamar com a língua é levantar falso testemunho contra o seu próximo, contrariando assim o mandamento de Deus que diz: “Não admitirás falso rumor e não porás a tua mão para seres testemunha falsa” (Ex 23:1).

d)         A Bíblia chama de insensato aquele que difama o seu próximo Pv 10.18b.

e)         Se não puder falar bem do seu próximo, não fale mal. Tg.4.11,12) Esse versículo é daqueles dos quais a gente não consegue se lembrar.

Ilust. Geralmente nas casas dos irmãos vimos alguns quadros na parede com frases bonitas. (até aqui nos ajudou o Senhor; Eu e a minha casa servimos ao Senhor...etc. Eu nunca vi um quadro com a seguinte frase (nem na minha casa tem um assim): “Aqui não se fala mal dos irmãos, ora-se por eles”. Talvez a partir de agora a gente tente encontrar um assim....

4) Não faz mal ao próximo (Sl 15:3b)

a)      Fazer mal é próprio dos malignos, dos ímpios que “não dormem, se não fizerem o mal, e foge deles o sono se não fizerem tropeçar alguém” (Pv.4.16).

b)      O cidadão do céu demonstra, em todos os aspectos de sua vida, cultivar a benignidade, qualidade daquele que só faz o bem.

c)      Fazer o mal, no texto, tem um sentido amplo:

d)      · refere-se a qualquer tipo de atitude que venha a prejudicar o próximo em qualquer circunstância, moral, social, espiritual e físico; Quem faz o mal colherá o fruto do que anda semeando (Gál.6.7).

e)      Quando indagado sobre o que fazer para entrar no reino de Deus, Jesus disse ao doutor da lei: “Que está escrito na lei? O qual respondeu: amarás ao Senhor teu Deus de todo o coração… e ao teu próximo como a ti mesmo. (Lc 10.25-27).

f)        Vemos pois o amor em evidência como sendo uma prerrogativa para se entrar no santo templo do Senhor.

g)      O amor não faz mal ao seu próximo Antes auxilia, ajuda, socorre. Rm 13: 9

h)      A Bíblia diz que os que lavram iniquidade e semeiam o mal ceifam isso mesmo Jó 4.8. não podemos portanto fazer mal ao nosso próximo sob pena de colhermos infortúnios.

 

6) Não aceita afronta contra o seu próximo (3c)

a)         Afronta quer dizer ofensa, humilhação de forma agressiva de uma pessoa contra outra.

b)         O cidadão do céu é capaz de suportar a afronta contra si mesmo, demonstrando o fruto do Espírito (longanimidade), mas não aceita nenhuma afronta contra seu próximo.

c)         O espírito de fofoca não pode existir no meio dos crentes em Jesus. O disse que disse é instrumento utilizado pelo Diabo para semear a intriga e a discórdia entre os irmãos.

7) Despreza o réprobo (4 a)

a)         Réprobo é sinónimo de reprovado, perverso, mal. O cidadão do céu não pode aprovar, por acção ou omissão, o comportamento dos ímpios. Ef 5:10,15

b) Nosso dever é amá-los, espiritualmente, como Cristo os ama, mas desprezá-los em suas práticas pecaminosas.

c) Neemias, ouvindo o falso convite de Sambalate, Tobias e Gésem, logo os desprezou: “Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer” (Nee.6.2,3); II Tim.3:8.

8) Honra aos que temem a Deus (4b)

Os que temem a Deus, de modo geral, estão entre os que são considerados “como lixo deste mundo e como a escória de todos” I Cor.4.23 compare com Ap 14:7.

Deste modo, só quem está em condições de honrar aos que temem a Deus são os verdadeiros cidadãos do céu.

-         Os pais crentes devem amar e respeitar seus filhos

-         Os filhos devem honrar a seus pais

-         O marido deve honrar a sua esposa

-         A esposa deve honrar a seu marido

-         Os fiéis devem honrar os pastores

-         Os pastores devem honrar aos fiéis

9) COMPROMISSO NOS NEGÓCIOS, Cumpre seus compromissos (Pv 15:4c)

a)         O texto do Salmo diz: “aquele que, mesmo que jure com dano seu, não muda”.

b)         No Antigo Testamento, as pessoas faziam juramento diante de contratos e acordos.

c)         A Bíblia nos admoesta dizendo que nosso falar deve ser sim, sim, não, não. Advertindo-nos posteriormente que o que passa disso é de procedência maligna (Mt 5:37).

d)         A palavra do cristão deve ser temperada com sal. O servo de Deus deve portanto dispensar todo o cuidado com a palavra que sai da sua boca. Não jurando nem pelo céu nem pela terra nem fazendo qualquer outro juramento para que não caia em condenação (Tg 5.12). Além do que, deve sustentar sua palavra nos compromissos firmados, demonstrando respeito e admiração para com os de fora, honrando a Deus através dos seus compromissos. Há crente que diz que paga e não paga, que vai e não vai, que falha nos horários pré-estabelecidos, sendo impontuais, não cumprem acordos firmados, escandalizando assim o evangelho de Cristo porém a palavra de Deus nos determina a não mudar a palavra mesmo com prejuízo próprio Sl 15:4(c).

e)         No Novo Testamento, vemos que Jesus nos ensinou a não jurar nem pelo céu nem pela terra Mat 5:34.

f)           Jesus nos ensinou a sermos íntegros no cumprimento da palavra. Sim, sim; não, não. O que passa disso é de procedência maligna Mat 5:37.

g)         Uma pessoa que se diz ser cristã e compra e não paga. Pede dinheiro emprestado, prometendo pagar tal dia e, depois fica evitando o credor, não é cidadão do céu. Que Deus guarde a Igreja desse tipo de gente.

10) Não empresta dinheiro com usura Pv 15:5 (a)

a)         Pedir dinheiro emprestado não é coisa boa Pv 22:7. Às vezes, porém, certas circunstâncias obrigam o crente a fazê-lo.

b)         Se tivermos condições de ajudar alguém, concedendo-lhe um empréstimo, devemos fazê-lo de modo cristão e compassivo Sal. 37:25,26

c)         A palavra usura significa lucro exagerado, avareza. O senhor nos adverte que aquele que empresta com usura e recebe além do normal em termos de lucro não viverá mas certamente morrerá Ez 18:13.

d)         A avareza é como pecado de idolatria pelas quais coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência Cl 3:5.

e)         Usura é sinónimo de agiotagem que se define como sendo a prática de empréstimos a juros exorbitantes com vistas a lucros excessivos.

f)           O cristão autêntico não se dá a esta prática pecaminosa, antes empresta sem esperar receber de volta (Lc 6:34).

g)         Porém se desejamos um caminho ainda mais excelente aos olhos de Deus o melhor mesmo é dar do que emprestar pois nos diz a Bíblia : “O ímpio toma emprestado e não paga, mas o justo se compadece e dá” (Sl. 37:21).

h)         O apóstolo Paulo recomenda: “Ninguém oprima ou engane a seu irmão em negócio algum, porque o Senhor é vingador de todas estas coisas...” I Ts. 4.6).

i)           Vemos através deste texto que Deus faz justiça e executa juízo sobre aqueles que são infiéis nos negócios firmados. É imprescindível que em seus compromissos o servo do Senhor observe alguns princípios básicos:

11) Não aceita suborno (Pv 15:5b)

Suborno quer dizer peita, corrupção.

a)         Subornar é dar dinheiro ou outros valores para conseguir alguma coisa oposta à moral e aos princípios cristãos, quem assim procede está debaixo da maldição. Dt 27:25.

b)         Em outras palavras é o mesmo que atrair com engano, aliciar para mal fim. O discípulo de Jesus não pode se deixar levar pelo lucro fácil corrompendo-se. Antes deve primar por uma conduta impecável. O Senhor nos adverte: “Não tomarás suborno, porquanto o suborno cega os olhos dos sábios e perverte as palavras dos justos” (Dt 16:19c).

c)         Sendo assim o suborno é uma obstrução a execução da justiça. Deus chama de rebelde e companheiro de ladrões àqueles que amam o suborno (Is 1:23).

d)         O cristão não deve portanto nem aceitar subornos, nem subornar ainda que isto signifique perdas económicas em função da justiça aplicada sobre si.

e)         O cidadão do céu jamais aceita tal prática seja contra o culpado e muito menos contra o inocente.

f)           No Antigo Testamento o suborno era condenado com rigor (Is.5.23,24; Eze.22.12-15

g)         No mundo sem Deus, a prática do suborno é quase sempre uma regra. Mas, como cidadãos do céu, devemos condenar esta prática.

 

III - A Promessa ao Cidadão do Céu (5b)

a)         Seis palavras apenas são usadas no final do salmo, para descrever o galardão do verdadeiro cidadão do céu: “quem faz isto nunca será abalado” Nem todo aquele que diz Senhor, Senhor...(Mat.7.21)

b)         Ser cidadão do céu, ao mesmo tempo em que se é cidadão da terra, não é coisa fácil.

c)         Contudo, conhecendo as qualidades do verdadeiro cidadão do céu devemos esforçar-nos pedindo ao Senhor nosso Deus que nos ajude.

 

 

CONCLUSÃO

 

publicado por PASTOR MATOS às 17:54
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. A PRÁTICA DO PERDÃO

. DIA FESTIVO

. Características do Cidadã...

. AS OITO BEM-AVENTURANÇAS

. EVIDÊNCIAS DA RESSURREIÇÃ...

. A CONFISSÃO DE PEDRO

. A IDOLATRIA

. O PERDÃO

. Coisas que Deus aborrece

. A BONDADE MAL INTERPRETAD...

.arquivos

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Agosto 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds