Sábado, 12 de Abril de 2008

DESTRUIDORES DO BOM CARÁCTER

DESTRUIDORES DO BOM CARÁCTER
Introdução: O carácter é o gerador da reputação. O conceito desfrutado pelas pessoas na sociedade é fruto de suas acções pensadas ou precipitadas, correctas ou duvidosas, sérias ou levianas. A edificação do bom carácter faz a pessoa pagar um preço gigantesco. Ele é o mandatário da ética, caso contrário, tudo desmorona rapidamente. Os maiores inimigos do carácter podem esfarinhá-lo, levando seu dono ao descrédito e a zombaria. Deus, porém, redime o pecador arrependido por meio de Cristo Jesus.
1 – A FALTA DA EXPRESSÃO VERDADEIRA. Eis a mais perigosa apunhaladora das almas. Aprende-se a mentir mentindo. Assistindo e concentrando-se em subterfúgios inconfessáveis. Ela é crescente. Inicia de modo “inocente” e segue desenvolvendo no cérebro do mentiroso uma erva venenosa. O comentário sobre os mentirosos é escandaloso, degradante. A mentira não compensa. Mentiras políticas, jurídicas e conjugais enchem o mundo de estragos. A mentira tem como pai o diabo. João 8:44.
Deus um dia vai trazer Juízo, pois que todos temos de comparecer diante Dele II Cor 5:20; tais pessoas serão excluídas do reino dos céus Ap 22:15, Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira.
Oportunidade: Ef 4:25 Pelo que deixai a mentira e falai a verdade cada um com o seu próximo… a mentira tem pernas curtas, só dura enquanto não chega a verdade, já diz um provérbio popular: é mais fácil apanhar um mentiroso do que um coxo.
2 – O FINGIMENTO EM ROUPAGEM DISCRETA. Estamos acostumados a conviver com pessoas fingidas. É a aparência de sinceridade debaixo de jogo de palavras. Os sorrisos escondem a inveja, o despeito e a maldade. A amizade é a farsa trabalhada em pormenores pelo fingido. Abraça-se, mas como obrigação protocolar. Esta matéria é bem ensinada em novelas de televisão. Acredita-se que nunca será descoberta a má intenção de tais corações. Que engano! Hb 4:12; Lc 12:2,3
Juízo: A sua boca era mais macia do que a manteiga, mas no seu coração, guerra; as suas palavras eram mais brandas do que o azeite; todavia, eram espadas nuas (Sl 55:21).
Oportunidade: Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade I Jo 3:18.
3 – AS JUSTIFICATIVAS INVENTADAS. Para cada erro uma desculpa; para cada fraqueza, uma cobertura. Assim vai indo os seres humanos para o abismo eterno. Não pude ir por estar com dor de cabeça! Será? Não lhe paguei porque o salário atrasou! Deixei de comparecer por não encontrar voo! Cheguei tarde à minha casa, pois a condução parou no congestionamento! O descrédito será monstruoso para quem vive desse modo.
O Juízo de Deus: Disse, então, Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo e retivesses parte do preço da herdade? Guardando-a, não ficava para ti? E, vendida, não estava em teu poder? Por que formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus. E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou (At 5. 3-5).
Amigo, hoje tens a oportunidade de reparar o dano causado no oculto: Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça (I Jo 1:9).
4 – A TRANSFERÊNCIA DE RESPONSABILIDADE. Não é meu dever! A culpa foi dele, dela! Ninguém quer assumir as próprias falhas e derrocadas. Na tocaia ficam os “espertinhos”. À semelhança de órgãos governamentais que empurram obrigações para outros, há pessoas que só se apresentam como participantes quando tudo está dando certo; onde falhas aparecem – eu nem estava presente! É a velha natureza humana de Adão culpando a Eva e Eva culpando a serpente. Gn 3:12,13
Juízo: E tu, ó homem, que julgas os que fazem tais coisas, cuidas que, fazendo-as tu, escaparás ao juízo de Deus? Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência, e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento? Mas, segundo a tua dureza e teu coração impenitente, entesouras ira para ti no dia da ira e da manifestação do juízo de Deus (Rm 2:3-5).
A tua última oportunidade: O que encobre as suas transgressões nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia (Pv 28:13).
5 – DOCUMENTAÇÃO EM “ORDEM”. Os carimbos de averbação estão presentes para comprovar que tudo está correcto! Alvarás de soltura; prescrição médica; escritura cartorial; registros e declarações averbadas! Que cansaço. Corruptos enganando estelionatários. Toda essa gente marchando para enfrentar o juízo final. Mas antes do juízo há a perda do conceito, o desmoronamento do carácter, a ofuscação da personalidade. Que horror!
Juízo: Quando vês o ladrão, consentes com ele; e tens a tua parte com adúlteros. Soltas a tua boca para o mal, e a tua língua compõe o engano. Assentas-te a falar contra teu irmão; falas mal contra o filho de tua mãe. Estas coisas tens feito, e eu me calei; pensavas que era como tu; mas eu te arguirei, e, em sua ordem, tudo porei diante dos teus olhos (Sl 50:18-21).
Oportunidade: Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos actos de diante dos meus olhos e cessai de fazer mal. Aprendei a fazer o bem; praticai o que é recto; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão; tratai da causa das viúvas. Vinde, então, e argui-me, diz o Senhor; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã (Is 1. 16- 18).
6 – INSENSIBILIDADE MORAL. Apresentam-se naturalmente em público os inimigos públicos número um, dois, três. Sorriem como se nada tivesse acontecido. Estão prontos a prosseguir assim que forem “libertados”. Não se envergonham. Acham normal serem cognominados de falsários e bandidos. Sob pretexto de orações roubam as casas das viúvas – disse Jesus. São os porcos desfilando com colares de ouro no pescoço e gravatas importadas debaixo dos ternos. É a multiplicação da iniquidade predita por Nosso Senhor Jesus Cristo.
Juízo: Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundície. Assim, também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas interiormente estais cheios de hipocrisia e de iniquidade (Mt 23:27-28).
Oportunidade: Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham, assim, os tempos do refrigério pela presença do Senhor (At 3:19).
Conclusão: Odesmoronamento do carácter é matéria de advertência para os justos. Tg 4:11 diz: Irmãos, não falem mal uns dos outros. Quem fala contra o seu irmão ou julga o seu irmão, fala contra a Lei e a julga. Quando você julga a Lei, não a está cumprindo, mas está se colocando como juiz. A orquestra manipuladora da consciência está ensaiando e alistando gente em toda parte para o grande concerto infernal. A decadência da sociedade é visível. A perda do bom carácter por parte de um cristão é a tristeza para a comunidade dos santos. O zelo com o carácter e o conceito deve ter lugar de preeminência na vida dos filhos de Deus.
publicado por PASTOR MATOS às 12:16
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. A PRÁTICA DO PERDÃO

. DIA FESTIVO

. Características do Cidadã...

. AS OITO BEM-AVENTURANÇAS

. EVIDÊNCIAS DA RESSURREIÇÃ...

. A CONFISSÃO DE PEDRO

. A IDOLATRIA

. O PERDÃO

. Coisas que Deus aborrece

. A BONDADE MAL INTERPRETAD...

.arquivos

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Agosto 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds